Acervo Dário Castro Alves

Quatro séculos de Ceará

Diminui a letraAumenta a letra

Saara, Siará, Seara, Ceará. Contido no Estado do Maranhão, na região fronteiriça com o Estado do Brasil, um território iluminado e inóspito do qual pouco se conhecia além da fartura de salinas, da dificuldade de águas, da exiguidade de ancoradouros e da esterilidade do solo.

Havia, é fato, uma vaga esperança de minas de prata ou de ouro, justificando a presença colonizadora neste território, ao qual a Coroa portuguesa reservara, por mais de um século, sua Real indiferença.

Completava o Brasil o primeiro centenário de descobrimento. Embora fosse um nobre dever levar a crença cristã a estas paragens selvagens do Novo Mundo, entregues à mercê de deuses pagãos, Portugal deixara secar por quase quatro décadas a tinta dos relatos assinados pelos capitães da frota de Cabral, antes de dobrar as mangas, esfregar as mãos e dar início ao processo de povoamento.